BELA LUGOSI, o ator que veio da Transilvânia.


Béla Ferenc Dezső Blaskó (1882 – 1956), mais conhecido como Bela Lugosi. Foi um ator Hungaro-Americano, famoso por retratar Conde Drácula no cinema em 1931 e pelos seus vários papéis em outros filmes de horror.

Bela nasceu em Lugos, Reino da Hungria, hoje Logoj, Romênia. Fugiu da escola aos 12 anos. E começou sua carreira como ator, provavelmente em 1901 ou 1902, em teatros pequenos de sua cidade, fazendo muitos papéis pequenos em operetas. Em 1903, ele tomou o nome de Lugosi em homenagem a sua cidade natal Lugos na Transilvânia. Posteriormente, mudou-se para Budapeste em 1911, onde passou a atuar no National Theatre of Hungary, entre 1913-1919, chegando a ser aclamado como o seu melhor ator.





Devido ao seu ativismo na União dos Atores da Hungria, durante a Revolução Húngara de 1919, foi forçado a sair da Hungria. Primeiro foi para Viena, depois se assentou em Berlin, onde continuou a atuar. Lugosi deixou a Alemanha em 1920, pretendendo emigrar para os Estados Unidos. Entrou neste país por Nova Orleans, em um navio mercante como ajudante de bordo em Dezembro de 1920, de lá seguiu para Nova York e foi legalmente inspecionado para imigração em Março de 1921. Declarou sua intenção de se tornar cidadão norte-americano em 1928, e foi naturalizado em 1931.

Em sua chegada em Nova York, por ter 1.85 e 82 kg trabalhou como operário, naquele tempo, entrou para o teatro da colônia de imigrantes húngaros da cidade de Nova York, e logo depois formou uma pequena companhia itinerante que viajava pelas cidades do leste, atuando para audiências de imigrantes. Fez sua primeira atuação na Broadway na peça The Red Poppy, em 1922. E seu primeiro filme veio em 1923 no melodrama The Silent Command. E seguiu atuando em vários papéis figurantes, representando vilões ou tipos imigrantes, todos em produções feitas na área de Nova York.

Em 1927, Lugosi foi procurado por uma produção da Broadway para interpretar Drácula, numa adaptação do romance de Bram Stoker. O Drácula feito por Lugosi era diferente, elegante e misterioso. Era tão fascinante e tão tenebroso que a audiência arfava quando ele abria a boca para falar. Depois de um ano e meio na Broadway, Drácula foi aclamado pela crítica. Sua atuação como Drácula obteve tanto sucesso, que a Universal decidiu fazer um filme do Drácula, com Lugosi estrelando.





Nenhum ator poderia fazer o papel de Drácula como Lugosi fez. Afinal, o ator veio da temível Transilvânia. Os críticos do cinema de Horror o estabelecem como a estrela do gênero, com Boris Karloff e Peter Lorre, seus únicos rivais em Hollywood. Contudo, por toda sua carreira, Lugosi lamentou por sua inabilidade para fazer outros tipos de filmes. “Eu sou definitivamente estereotipado, destinado a ser o expoente do mal”, disse. Mas, nos anos de 1940, no auge de sua atuação como Drácula, ele falava muito de sua tradição transilvânica, e pronunciava a frase imortal: “Eu sou Drácula”.












Comentários

  1. Peço desculpas mais estava muito ocupado nos últimos dias, mais leiam essa reflexão, muita boa http://pensamentospositivos2015.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sua visita e espero que volte sempre. Muito legal o seu blog. Um abraço.

      Excluir
  2. Interessante a história do ator Bela Lugosi, vindo da Transilvânia, sua saga se confundi com o romance Drácula de Bram Stoker. Sua peregrinação de emigrado passa por Nova Orleans, cidade dos vampiros de Anne Rice, até chegar a Big Apple e ser imortalizado pela sua bem sucedida atuação como Drácula.

    ResponderExcluir

Postar um comentário