Inspiração Arte e Movimento



Olá, Pelotiqueiros!
 
                                                                     de Simon Bisley


Atendendo pedidos, hoje falarei de ilustração, coisa que sou fã e quero produzir. Curto demais os desenhos de Simon Bisley devido o seu estilo Heavy Metal! E além de tudo, ele se espelhou em outro desenhista, que também curto demais, o Frank Frazetta. Além de Frank Frazetta, ele se inspirou em um dos grandes da arte surrealista: Salvador Dalí. Também, o pintor Willian Turner, considerado por alguns, um dos precursores da modernidade na pintura, em função dos seus estudos sobre cor e luz. Outra inspiração é Richard Corben um desenhista e roteirista de HQ’s estadunidense, mais conhecido por suas histórias de fantasia e horror publicadas na revista Heavy Metal. Está aí porque seus desenhos em HQ’s faz tanto sucesso! E ainda é fã de música Heavy Metal, como eu!


Na busca para inspiração dos meus desenhos, de todos os artistas que encontrei, eu me encantei com os desenhos de Frank Frazetta, pelo modo que ele posiciona os personagens, ao ponto de quem o ver percebe a ação e movimento, e não um simples desenho estático, chapado. Mas, com o tempo conheci as ilustrações de Simon Bisley, e percebi que era diferente dos outros, tendo como influencia as capas de bandas de Heavy Metal, assim como a arte do grafite. Aos meus olhos a arte tornou-se mais agressiva, com espírito e movimento. E não posso esquecer-me de Will Eisner, porque ele emprega esse espírito na característica de seus personagens, quero dizer, qualquer um poderia desenhar um mendigo, mas apenas Will Eisner consegue colocar o espírito que o torna real.




                                                                              de Simon Bisley


                                                                    de Simon Bisley

Os músculos retesados, as veias engrossadas e palpitantes, os olhos vivos e psicóticos, isso torna os desenhos de Bisley reais. O que dá impacto como a arte do Salvador Dali, é a forma como ele enxerga as coisas e os seus personagens. Não é apenas uma transposição do objeto para o papel, mas sim uma impressão do objeto, transformado pela visão do artista. A desproporção dos objetos e da carne é mais do que estilo, é movimento é dar espírito à sua arte. Para mim, que estou buscando inspiração, Simon Bisley é como uma transposição de movimento dos desenhos de Frank Frazetta. Isso é o que eu encontro na arte de Eisner, é dar vida àquilo que todo mundo vê, mas não compreende. Claro, Will Eisner representa a arte clássica dos quadrinhos, não tem comparação com estes dois, além do espírito que movimenta a alma do desenho.

                                                                                             de Will Eisner


                                                   de Frank Frazetta

                                                                       de Frank Frazetta

Quero utilizar essas influências ilustrando o conto “A Ópera do Horror” de Rogério Prego, que se encontra no seu livro de contos “Meu Sagrado Reindo da Escuridão”. Porque Rogério Prego caracteriza o psicológico de forma sombria e surreal. O mundo subconsciente que ele revela é hostil e agressivo, dotado de movimento compressor, de cores frias. Ele não apenas transforma a palavra em ícone, ele revela o espírito que liga as palavras às coisas. E essas características são completamente compatíveis com a inspiração que busco na arte de Simon Bisley e Frank Frazetta.  Mas não é só o movimento em si, é a alma do personagem, a forma como Will Eisner nos apresenta a vida.

de Will Eisner


Espero que tenham gostado!

Pollyanna Rodrigues.

Comentários

  1. "meu SAGRADO REINO DA ESCURIDÃO" também está disponivel pela CreateSpace, siga o link: https://www.createspace.com/5768110

    ResponderExcluir

Postar um comentário